quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Vantagens na mudança de um cronograma

Esta segunda-feira, dia 11, parti de Curitiba rumo a Cascavel, para cumprir com alguns compromissos profissionais. Foram juntos três colegas de trabalho, sendo um deles um prestador de serviços que veio de São Paulo, onde tivemos uma reunião inicial ainda em Curitiba.
Saímos de Curitiba por volta das 13:30hs, e programávamos rodar os 496 km em aproximadamente 6 horas. Ou seja, por volta das 19:30hs pretendíamos estar em Cascavel.
Mas acontecem pequenos desvios na programação que acabam por nos criar outras oportunidades, mesmo que neste caso acabássemos por chegar ao destino somente às 23:30hs.
Havíamos percorrido próximo de 150 km e um cheiro de borracha queimado me fez encostar o veículo no primeiro lugar seguro do acostamento. Identificado um problema em um pequeno rolamento do tensor da correia, que fez com que a polia ficasse parada, com a correia correndo por ela queimando e exalando o tal cheiro de borracha queimada, aguardamos a chegada do socorro da empresa responsável pela concessão da estrada, que aqui devo realçar, com um atendimento rápido e eficiente.


Levou-nos o carro para uma oficina de uma cidade próxima, que já muitas vezes havia visto a placa identificando-a, mas nunca havia entrado no trevo à esquerda para visitá-la.

Enquanto aguardava o conserto do carro, pois acabou por demorar um pouco mais do que gostaríamos a procura do tal pequeno rolamento em alguma das auto-peças da pequena cidade, acabei por pegar a máquina fotográfica, já sem muita luz natural, e fui andar pelo meio de pequenas mas graciosas ruas da cidade.
Fui parar em uma praça onde se vê uma grande e bonita Imagem da Nossa Senhora das Graças, sobre uma pequena Capela.




Percebo que desta praça temos uma bela vista para vários pontos da cidade, e observo que é Irati uma cidade com uma arquitetura que demonstra ser esta uma cidade que conta na sua paisagem um tanto da história do Paraná e do Brasil.







Tirando a minha ignorância, creio que esteja ali uma cidade mal trabalhada turisticamente. E nunca ouvi ninguém falar dela com este foco.

Hoje, até visitei o site da Prefeitura de Irati para saber um pouco mais dela, e até fiquei sabendo que este município até já andou ganhando uns Selos do Ministério do Esporte e Turismo devido ao seu potencial e engajamento ao planejamento turístico! Arre! A minha ignorância me espanta ou me espanta eu estar na capital do Paraná e não ver aqui Irati ser divulgada.
Bem dito seja o rolamento que me quebrou a 150 km de Curitiba!

Falando em quebrar, lembro-me que arrumaram o carro, e devo agradecer ao pessoal da oficina a forma atenciosa e não exploradora da situação de 4 viajantes com compromisso e com um carro quebrado na estrada.

E parabéns pela forma simpática e pelo esforço de promover a sua cidade, sem apoio aparente, nem mesmo de material promocional, do senhor que explora comercialmente uma pequena lancharia (biscoitos, sorvetes, refrigerantes, outros) junto à Capela de Nossa Senhora das Graças.

3 comentários:

Micheliny Verunschk disse...

Ol� Z� Paulo! Tudo bem? Olha, sou colaboradora de uma revista brasileira de arte, cultura e tecnologia chamada Continuum. A cada m�s um tema � eleito. Esse m�s, por exemplo, trata do olhar. Uma das pr�ximas edi�es tratar� de migra�es, deslocamentos. Minha pauta � analisar isso pelo olhar de blogueiros pelo mundo. Ent�o gostaria de te entrevistar por e-mail, pode ser?

A revista � impressa e tem vers�o eletr�nica. Abaixo, o link dela e de uma das minhas reportagens:

http://www.itaucultural.org.br/index.cfm?cd_pagina=2689

http://www.itaucultural.org.br/index.cfm?cd_pagina=2720&cd_materia=579

Caso esteja dispon�vel para a entrevista, responda para verunschk@terra.com.br

Tereza disse...

Puxa, arrepiei principalmente ao ver aquele linda imagem de Nossa Senhora. Nada é por acaso.Que lugar lindo e tanta história "escondida" deve ter. Quem sabe junto a esta disponibilidade e trabalho da equipe do Itaú Cultura, não conseguém mostrar um pouco mais de Irati.O que tem o nosso Brasil para se conhecer e tão poucos dão valor infelizmente.
Beijo grande Tareca

Anônimo disse...

Acabo de ler seu comentário sobre a minha querida Irati e como Iratiense que sou agradeço pela maneira carinhosa com que se refere à nossa cidade.Irati é uma cidade acolhedora,com potencial turístico atualmente bem trabalhado.Quanto à imagem de N.Sra.das Graças,é a maior do mundo.Irati nosso vale adorado que amanhece agaslhado pela fina organza da neblina em manhãs de outono e vai espreguiçando-se lenta e serenamente até a chegada da primavera com suas floradas e zumbidos de abelhas dispersas nas tardes quietas de sol e calor.Irati,onde ainda se preserva o hábito dos encontros de compadres e amigos pelas varandas guarnecidas de lambrequins ou cadeiras espalhadas pelas calçadas.Irati da rua 15,das esquinas lavadas de sol e da mistura de raças que povoam seu coração com a doçura da amizade e o convívio de quem não troca por nada êste vale de mel aos pés de serras e colinas sob a proteção da "Santa do Morro" que faz de cada iratiense um seu filho querido.

joelgomesteixeira@hotmail.com