quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Idiotas também ganham o Nobel...

Fonte da imagem: Folha Online

O prémio Nobel de Medicina, Dr. James Watson, vomitou uma das suas bestealidades. Até já pediu desculpas, como se apenas tivesse cometido uma gafe quando declarou que a inteligência dos africanos seria inferior à dos ocidentais.
Se criado o Prémio Nobel da idiotice, bestialidade, incentivo à criminalidade social, não haveria disputa. Estava ganho por antecipação por este dr. Watson que infelizmente não é de ficção.

11 comentários:

Anônimo disse...

Essa foi só uma das dele. Desde que ganhou o prémio Nobel no fim dos anos 60 e de lá para cá tem soltado umas "gafes" piores que as outras.

Isabel-F. disse...

aboslutamente cretino e revoltante ...

achei um nojo.

beijinhos para ti

IO disse...

Falta o Nobel da vergonha...

beijo para ti, ZP, IO.

Zé Paulo Gouvêa Lemos disse...

SIm, mano Tó! Esta foi talvez só uma das piores. E a forma como ele se desculpou, dizendo que mais importante que o ponto de vista dele é que "cientificamente" nada comprova o que disse, ainda o deixou mais borrado. Um cretino, como aqui disse a Isabel Filipe.

Isabel,

Sem dúvida, revoltante.
Um beijo também para ti.

Minha Bloguista!
Nobel da Vergonha ou o do "Sem Vergonha"?
Beijo Grande.

Anônimo disse...

A mentalidade actual não permite ao ser humano pensar desta maneira. Todavia, não podemos logo à partida recriminar quem faz estudos deste género que são sempre fundamentados em experiências de muitos anos.
Na verdade, os brancos têm-se mostrado sempre mais inteligentes.

Carla T.

Zé Paulo Gouvêa Lemos disse...

Sra. Carla T.,
Que estudos, se este mesmo homem, com "h" minusculo, quando pediu desculpas quanto À sua afirmação disse que não há estudo algum que comprove tal tese? Ou seja, com toda a certeza uma coloção racista e criminosa de quem se acha no direito de ir além do que estuda.

Anônimo disse...

Mas o senhor leu o livro todo ou baseia-se em crítica lidas aqui e ali?
Afinal estamos a falar de um livro notificado para um prémio altamente consignado, cujo júri não é formado por zés ninguéns.
Ele pediu desculpa porquê? Porque foi obrigado a isso? Por quem? Sabe quantas vezes isso já aconteceu na academia? Convinha saber.

Carla T.

Zé Paulo Gouvêa Lemos disse...

Acho que a sra. está metendo os pés pela mãos. Que livro é que ele tem que está notificado para um grande prémo e que demonstra tais estudos. Coloque lá aqui o título e editora!!!
Do que aqui se fala é de uma desastrosa entrevista que o mesmo deu a um jornal americano e que depois veio à imprensa pedir desculpas pelo o que disse, e nem na primeira entrevista falou em existir tais estudos, e sim colocou exemplos tendenciosos como qualquer racista e criminoso. Tendenciosos inclusive como a sra. parece que está a ser, quando fala do tal livro que deveria ter os tais estudos que comprovam cientificamente a diferença intelectual entre ocidentais e africanos. Ora sra. Carla T. (poderia até se identificar melhor), não lhe vou mais dar aqui espaço para vender as suas piruletas racistas, a não ser que venha com algo mais consistente, o que de partida já vejo muita dificuldade.

Anônimo disse...

Caríssimo blogger, desculpe-me a armadilha que lhe preguei mas caiu exactamente nos meus intentos,i.e., por outtras palavras menos eruditas, caiu que nem um patinho (qua, qua, qua).

a sua resposta, ríspida, já por mim adivinhada deu-me a certeza da pessoa prepotente altamente convencida do seu iluminismo fabejado pelo nome de família que supõe o único dos últimos ´seculos.

Cure-se. Ganhe modéstia olhabdo as estrelas e vendo que na ordem do universo o senhor é apenas uma poeira.

Zé Paulo Gouvêa Lemos disse...

Anonimo!
Achou-me rispido? Achei até que fui muito paciente, o que não costumo ser com pessoas com posturas criminosas, principalmente com o manto do anonimato.
Não venha voce vincular a questão com nome da minha familia porque é esta uma postura muito pessoal. Com orgulho, é claro, de ser herdeiro dos MC e GL.

Madalena disse...

Como disse a Azulita, a inteligência também tem prazo de validade e a deste Nobel provavelmente caducou. Anan e Mandela provam precisamente o contrário. Beijinhos do lado de cá do Atlântico