domingo, 8 de junho de 2008

Quedas do Iguaçu, Paraná

Fonte da Imagem: Site da Prefeitura de Quedas do Iguaçu
Em homenagem a um visitante "invisivel" do Lanterna Acesa, e visitante também de outros lugares que também visito, deixarei hoje aqui uma referência a uma região do Brasil, geográficamente linda, e de grande importância para a minha vida pessoal.
Falo de Quedas do Iguaçu, no Paraná, onde por lá andei por um ano, prestando serviços, e de lá, por indicação, fui para o Sudoeste do Paraná, que então acabou-me empurrando para Curitiba, sem antes ter deixado de passar por outros trilhos.
Em Quedas do Iguaçu fui dar a devida importância ao pinheiro símbolo do Paraná e à sua história, a Araucária, à história do pássaro Gralha Azul, e a aprender a comer pinhão cozido ou assado.
Agradeço a Deus a oportunidade de ter conhecido Quedas do Iguaçu, e agradeço as oportunidades que Quedas de Iguaçu, de alguma forma, me criou.

3 comentários:

Anônimo disse...

Viajante, emigrante, estrangeiro, nacionalista do mundo, cujo diálogo fica nos antípodas do diálogo de quem apenas viaja nas férias de verão.

Se Portugal ganhar o europeu, será uma vitória, Afro-luso-brasileira.

Mas isto, apenas cabe na cabeça de quem foi emigrante, e outras designações.

Zé Paulo disse...

Tenho que admitir que gostei desta definição.
E que cheguemos ao 6/6 no Euro!
Cumprimentos ou abraços?

Zé Paulo

Anônimo disse...

Já nos anos 60, o Desportivo de Lourenço Marques, algures no hemisfério sul, foi campeão europeu, penso que em Montreaux, se não me engano tambem é Suiça (da europa, apenas conheço até Badajoz).

Já em 1966, em Londres, eram os Eusébio, Coluna, e companhia, e o brasileiríssimo Oto Glória.

Existem intelectuais que são de um analfabetismo aterrador.

Continuo anónimo,
Muitos cumprimentos